O sonho acalentado

Bom dia a todos!

Como vão vocês e suas famílias? Espero que estejam bem e unidos! Onde existe coragem e integridade, até mesmo os conflitos resultam em um bem maior!

Gostaria de lhes falar hoje aqui um pouco sobre o sonho acalentado.

Quando cai o dia e estamos quase encerrando para o sono, um familiar próximo nos pergunta: qual é mesmo o seu sonho? O que você realmente quer da sua vida?

O que você quer ganhar? O que você quer viver? O que você quer contemplar? O que você quer reconhecer?

Já ouvi pessoas dizerem que sonhar é coisa para crianças.

O que você acha disso?

Acredito que uma parte de nós sabe exatamente o que importa a respeito dos eventos futuros e convida todo o resto a uma jornada inteira de alegre expectativa, confiança e serenidade, enquanto respeita profundamente as outras pessoas, enxergando todos como futuros reis.

Sonhar é ver o que ainda não existe concretamente, mas será.

Quem tem mais saúde mental, o que espera ou quem desespera?

Esperança, porém, também não é inércia. Quem está realmente vivo, movimenta-se, apresenta-se e comunica-se.

Deixar falar a sua versão do amanhã tem um papel muito importante em toda a construção da unidade, cooperação e concordância na família.

Acho que devemos elaborar continuamente o nosso futuro, pois é nesse exercício que nos tornamos hoje na nossa melhor versão.

A vida acontece em camadas ou degraus. Passamos por fases, como nos videogames.

Nossa maior força procede de uma conexão viva. Por isso vista-se da realeza que a obra da sua vida quer lhe entregar.

Não importa o que tenha acontecido na sua caminhada, o erro, a violência, a doença, o dano. Existe perdão para todo aquele que se arrepende e recomeça direito e responsavelmente.

Minha filha certa vez disse enfaticamente na mesa de refeição “nunca mais!” Ela tinha apenas 4 anos de vida e estava falando com aspecto de convicção. Mas quem pode levar à sério o juramento de uma criança?

De certa maneira, nossos juramentos somente serão levados a ferro e fogo quando estivermos prontos para isso.

Tire a pressão de cima de você. Volte ao ponto onde se desviou da sua concordância íntima e volte a levantar diante de si mesmo os seus sonhos. Não para cobiçá-los, mas para consolar-se e animar-se para o dia de hoje.

Aquilo que você é, será.

Vamos seguir com essa psicoterapia corporal?

Tenham todos uma excelente semana!

Atenciosamente,

Rafael.

_

Rafael Caldeira de Faria

Psicólogo corporal

CRP 06/89471

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s