Em pauta

O toque-sem-toque

Aqui o Rafael Caldeira de Faria, psicólogo corporal, CRP 06/89471, fundador do Projeto Terapêutico Toque Divino, fala um pouco sobre o toque-sem-toque, o colocar as mãos na direção de alguém, mas sem tocá-lo diretamente, e seus efeitos terapêuticos complementares.

 

A preparação

Aqui o Rafael Caldeira de Faria, psicólogo corporal, CRP 06/89471, fundador do Projeto Terapêutico Toque Divino, fala um pouco sobre a preparação necessária para aqueles que desejam realizar toques terapêuticos ou trabalhar com a psicoterapia corporal.

 

Natal psicológico

Aqui o Rafael Caldeira de Faria, psicólogo corporal, CRP 06/89471, fundador do Projeto Terapêutico Toque Divino, fala um pouco sobre o Natal do ponto de vista psicológico, relacionando o nascimento da esperança com o meu nascimento como esperança. É quando nos percebemos sob uma nova ótica que nos tornamos plenamente capazes e multiplicadores da saúde mental.

 

A presença que toca

Aqui o Rafael Caldeira de Faria, psicólogo corporal, CRP 06/89471, e fundador do Projeto Terapêutico Toque Divino (pttoquedivino.com), fala um pouco sobre a nossa presença pessoal como uma forma de tocar. Devemos observar bem a qualidade da nossa vida íntima, pois sempre haverá um transbordamento natural do que temos vivido em nossos encontros. Especialmente àqueles que desejam trabalhar como psicólogos, seu compromisso com uma vida que resulte em uma presença terapêutica é fundamental.

 

A saúde mental aparece

Bom dia a todos!

Como vão vocês e suas famílias? Espero que se reunindo para aprender coisas boas juntos rotineiramente!

Gostaria de lhes falar hoje aqui um pouco sobre sinais e demonstrações da sanidade.

Doença mental não começa no indivíduo, mas em relacionamentos.

As famílias são corresponsáveis pelo modo como opera a mente dos seus membros.

Famílias comprometidas com práticas degradantes sofrem a degradação dos seus membros.

Nem tudo o que a sociedade permite fazer resulta em algo bom para a sociedade. Assim também é com as famílias e os indivíduos.

Mas então temos a reação do herói: degenerado e violado alguém percebe que a herança recebida não aproveita. Cheio de coragem e reverência, decide romper com o mundo conhecido e promíscuo, estendendo as mãos para agarrar a desconhecida ajuda de um homem bom.

Levantar-se do opróbrio é imediatamente colocar-se em campo de oposição em relação àqueles que o adoram.

Quando o homem encurvado recebe um toque de cura para se endireitar, então pinta um contraste indelével: o mundo nunca mais será o mesmo.

Que muda quando eu abraço a saúde mental?

Virtuosismo, nobreza, majestade… Uma cadeia de reações ascendentes.

Se a doença mental me tomou 5 anos, minha saúde mental me devolve em 5 anos o poder para prosperar.

Não se oculta aquilo que nos faz ver. Até a natureza coopera para que o sol não deixe de aparecer, aquecer e beneficiar.

Como seu psicólogo corporal eu reforço: o que você recebe na intimidade será anunciado e visto no seu sorriso.

Murmuração, contenda, queixume estão sempre na boca de quem está covarde, preguiçoso e incrédulo. Agora, porém, você abraçou a oportunidade e a vida, sob juramento abandonou seus camaradas de irresponsabilidade, dolo e atos vergonhosos.

Novos amigos virão! A partir do Médico você valorizou a semente perfeita que o comissionou.

Três comparsas se transformaram em uma infinidade de irmãos de todos os povos, línguas, tribos e nações.

Agora você é protagonista e ouvido por toda gente. Sua palavra vale pois a saúde mental fala eternamente.

Perder peso, ganhar força, enriquecer dignamente, trabalhar exclusivamente no que se ama, assumir a responsabilidade por seus relacionamentos… Assim avança a pessoa de boa fé.

Como esconder o brilho da saúde mental?

O que ilumina, ilumina.

Boa semana!

Atenciosamente,

Rafael.

_

Rafael Caldeira de Faria

Psicólogo corporal

CRP 06/89471