Médico à vista

Bom dia a todos!

Como vão vocês e suas famílias? Espero que exercendo pressão uns sobre os outros com a delicadeza e firmeza de um oleiro experiente, ajudando uns aos outros a atingirem seu propósito de obra-prima.

Gostaria de lhes falar um pouco hoje aqui sobre uma face da psicoterapia corporal, a de cooperadora nos contextos médicos.

Se você é médico já percebeu como o exercício da sua profissão pode ser muito complicado. Temos os exames desconfortáveis e invasivos; os remédios amargos, os que machucam e os que causam efeitos colaterais; e ainda as cirurgias, os transplantes e tudo aquilo que oferece na contrapartida um significativo risco de morte ao paciente.

Algumas pessoas têm terror à ideia de ir finalmente se tratar com um médico.

A vilania da Medicina está posta pelos seus portões de quatro faces: risco, dor, medo e ansiedade.

— Pausa para você respirar! Hehehe… —

O que um psicólogo corporal tem a ver com tudo isso?

A psicoterapia corporal costuma aliviar a dor, atravessar o medo e diminuir a ansiedade, significativamente.

Na minha jornada profissional tenho desenvolvido uma modalidade de tratamento de psicoterapia corporal que chamo de preparação pré-cirúrgica, que pode ser útil tanto antes de exames complicados, uso de medicações agressivas, quanto propriamente intervenções médicas físicas.

Além de todos os obstáculos naturais para a atuação médica, temos também outros psicológicos, responsáveis por tensões corporais e recusas involuntárias, que são uma grande dor de cabeça para esses profissionais.

Outra coisa que acontece com muita frequência, que os colegas médicos o confirmem, são as reclamações e obstáculos às recuperações após as intervenções médicas.

Tudo muito grande e complexo, porque os seres humanos são potências afetivas, podendo transformar o trabalho do médico em uma alegria ou uma grande complicação.

“Recuperação pós-traumática” é uma outra modalidade de tratamento de psicoterapia corporal que está sempre diante de mim como uma das minhas favoritas.

Os protestos de um ser humano só sossegam quando ele finalmente se sente contemplado em suas necessidades subjetivas. Mas não se preocupem os colegas médicos, porque dessa parte cuidam os psicólogos corporais.

Minha marca como psicólogo corporal é também usar toques terapêuticos para acelerar a resposta de segurança emocional e transformação física que tornam o paciente muito mais maleável e preparado para lidar com os desconfortos e danos dos seus procedimentos e tratamentos médicos.

Médico, quero fazer parte do seu time, como homem da sua mais alta confiança, para melhorar a reputação do seu trabalho e a satisfação do seu paciente.

Cada um se concentra numa parte e todos ganhamos pela potencialização de um trabalho comum.

A inclinação da minha contribuição é complementar e não substituir.

Uma boa semana para todos vocês!

Atenciosamente,

Rafael.

_

Rafael Caldeira de Faria

Psicólogo corporal

CRP 06/89471