O que fazer quando nada mais se pode fazer

Bom dia a todos!

Como vão vocês e suas famílias? Espero que fazendo precocemente a revisão das suas vidas para declarar o quanto importam uns para os outros!

Gostaria de lhes falar hoje aqui um pouco sobre o que ainda podemos fazer depois de termos feito tudo.

Todos passamos por situações em que a expectativa por um evento futuro nos põe em movimento de intensa preparação. Ensaiamos a nossa fala, planejamos a nossa resposta. Arrumamos a casa e o coração. Até que chegamos àquele ponto quando nada mais podemos fazer e tudo se torna verdadeiramente em uma questão de tempo.

“O que fazer quando nada mais se pode fazer?”

Descanse.

Já lhes falei como você é divino quando encontra a sua paz?

Nossa paz está relacionada com o conhecimento de nós mesmos. Até que você tenha entendido quem é e o que realmente lhe aconteceu, vive desconfiado de si mesmo. “Uma casa dividida não subsistirá”.

Talvez nesse último suspiro antes do “show” você ainda possa colocar mãos bondosas sobre o próprio peito, para dizer o quanto se ama e confia na sua semente.

E se você de repente se lembrasse de que seus caminhos e descaminhos foram gerados por nexos de relacionamento? Que aquilo que você repete inconsciente quer também lhe ensinar o que é a sua vida e qual o bom propósito da sua cura interior?

Eu sou psicólogo corporal e o que faço por mim, faço por você também.

Desde que você se disponha a perder tudo de falso para semear tudo de verdadeiro, nascerá esperança para o drama que o justifica.

O psiquiatra Adalberto Barreto, criador da Terapia Comunitária, ensinou-me que nossa melhor contribuição advém da nossa maior luta de sobrevivência. Construtor é aquele que venceu sua história de ruínas; médico é aquele que venceu sua história de doenças; cozinheiro é aquele que venceu sua história de fomes; etc. etc.

Agora que a casa está limpa e tudo está pronto, resta a sua autoestima e reconhecimento de si mesmo.

Sua verdadeira identidade jamais passará. Se existe alguma dimensão de mediocridade e fragilidade essencial na sua vida, isso não tem nada a ver com quem você realmente é.

Enquanto espera pelo Grande Dia, não se traia nem se distraia. Não foi para agradar às cobiças de ninguém que você nasceu.

Aceite que a sua vida é um presente maior e que sua voz autêntica é absolutamente necessária para esse tempo.

Desligue o barulho e a murmuração. Você tem tudo o que precisa.

Hoje será um dia extraordinário! Amanhã cedo você renascerá!

Tenham todos uma boa semana!

Atenciosamente,

Rafael.

_

Rafael Caldeira de Faria

Psicólogo corporal

CRP 06/89471

Em busca de palavras

Bom dia a todos!

Como vão vocês e suas famílias? Espero que despertando para a vida, juntos e amados. Vocês têm tudo o que necessitam!

Gostaria de lhes falar hoje aqui um pouco sobre nossa necessidade de palavras certeiras.

Todos já passamos por momentos de decisão, quando fomos passados por um frio na barriga diante da expectativa grandiosa de uma palavra pública.

O que posso dizer diante da eminência que provém do outro? Todos somos muito grandes em dignidade e valor essencial. Uma barreira humana é quase intransponível.

Queremos aprender a dizer algo que comunique a nossa alma, algo que encontre no outro a nossa própria conexão.

Muitas vezes é muito difícil encontrar uma palavra apropriada nos nossos exercícios de preparação. Mas a palavra oportuna é o presente daquele que vive em estado de consagração.

O gênio tem sempre uma palavra apropriada. Queremos ter o que ele tem, mas estamos dispostos a pagar o preço que ele paga?

Consagração não é o mesmo que sacrifício do eu. Mas é o resultado pela escolha corajosa do verdadeiro eu, mesmo diante de prejuízos temporários.

O que se requer de nós é que vivamos respeitosamente, cuidando da e confiando na nossa vida verdadeira. Silêncio, resguardo e bons limites são fundamentais.

A potência do homem vem em ondas de ação. Atividade e derramamento seguidos de introspeção e autocuidado.

E se você acreditasse que possui uma fonte inesgotável de boas palavras aí dentro de você? Capacidade para comunicar o que existe de mais sagrado, capacidade para abrir as comportas dos tesouros alheios ao serviço do bem comum?

O primeiro e o último nível do toque terapêutico é uma palavra certeira, a cura que reveste e sustenta toda cura.

Precisamos de uma linda palavra no dia de hoje. A sua palavra é tudo o que precisamos.

Será que você ainda se lembra do quão imprescindível é a sua contribuição?

Faça o bem a si mesmo e também ao seu próximo, e então nos diga quem é você, seu verdadeiro eu.

Através de uma doce palavra você também pode trazer à realidade um mundo melhor.

Guarde os seus lábios, guarde a sua vida.

Hoje é tempo de reconhecer a alegria de termos algo original a dizer.

Não se traia nem se distraia, mas descanse daquilo que mais ama e se conecte com as suas súplicas indizíveis uma vez por semana.

Se você alternar a sua tensão habitual por um dia de relaxamento, renovará seu acesso às fontes que jamais terão fim.

Sua palavra conta!

Atenciosamente,

Rafael.

_

Rafael Caldeira de Faria

Psicólogo corporal

CRP 06/89471