Toques terapêuticos

Toques terapêuticos são toques que geram efeito terapêutico.

Desde as massagens até os cafunés, os toques humanos podem nos trazer benefícios diversos, inclusive à saúde física e mental, quando bem aplicados.

No Projeto Terapêutico Toque Divino trabalhamos principalmente com três níveis de toques terapêuticos:

Toque-sem-toque é um toque feito a curta distância, porém sem contato físico direto, em que o terapeuta coloca suas mãos na direção do corpo do paciente por um período prolongado de tempo. As mãos do terapeuta podem permanecer estáticas em cada posição ou também móveis de várias maneiras.

Toque da ponta dos dedos é um toque monótono ou cadenciado, sutil ou profundo feito com as extremidades dos dedos do terapeuta em forma de ponto ou pinça. Pode-se tocar assim, por exemplo, os dedos e plantas dos pés, também outras partes do corpo.

Toque de toda a mão é um toque delicado das palmas e dedos do terapeuta sobre uma seção corpo do paciente, por exemplo as costas, proporcionando uma estimulação suave e progressiva, com pressões, contenções e mobilizações.

Todos eles propiciam transformações físicas e psíquicas por meio do relaxamento. Cada um, por sua vez, costuma alcançar resultados diferentes quanto à sua abrangência e ponto focal, podendo ainda serem combinados de várias maneiras para produzirem os melhores resultados terapêuticos.

Alguns de seus benefícios físicos são modulação do tônus corporal a uma descontração excelente para a recuperação da saúde; ativação do sistema nervoso parassimpático; diminuição da frequência cardíaca; estímulo à regulação da pressão sanguínea e ao equilíbrio da produção hormonal; melhora da circulação dos líquidos corporais; aumento da capacidade para o sono completo; favorecimento da boa digestão e aproveitamento nutricional; fortalecimento do sistema imunológico; aceleração da resposta regenerativa; promoção do crescimento celular saudável; alívio de dores; entre outros.

Já seus benefícios psicológicos envolvem estímulo ao aprendizado cognitivo; ajuda para a superação de bloqueios emocionais e traumas; promoção da segurança psicológica, a partir do qual avançamos no discernimento e solução de conflitos; aumento da sensibilidade em relação às contribuições da subjetividade; auxílio à criação de um caminho seguro para o deslocamento do foco nas ameaças exteriores para a sabedoria interior em desenvolvimento; ganhos de autoestima; modelo para o autocuidado; melhoras no equilíbrio emocional; capacitação para a interação interpessoal sadia; entre outros.